Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Nvidia Shield Tablet


Uma coisa que praticamente nunca faço, mas estou aborrecido, e apetece-me falar da coisa. Um comentário a um aparelho, a hardware. O ultimo que fiz, se não me engano, foi àPS Vita



Bem, adquiri recentemente o Nvidia Shield Tablet (versão 16GB, e sem o gamepad). Foi uma daquelas compras que se me perguntarem “porquê?”, não sei bem explicar. Já tenho um Surface Pro 2 que cumpre perfeitamente todas as minhas necessidades “computacionais”, e um smartphone Android que funciona (tão mal e porcamente como é esperado de qualquer Android, mas funciona). As funções de “Game” do Shield nem me interessam muito, já que eu nao tenho um PC potente para fazer stream de jogos, e também nao me interessa muito re-jogar Half-Life 2 ou Portal no aparelho. Foi uma compra por capricho portanto. É bonito, é muito potente, e é relativamente barato (tendo em conta as especificações técnicas). E chegada a uma altura da nossa vida, por vezes um gajo não precisa de muita lógica para comprar aquilo que quer. Se queremos e podemos, compramos. E eu queria o Shield, sei lá porquê, mas queria. Pronto.

O Shield Tablet então. Bem, para começar, devo dizer que para um tablet tão potente (o mais potente do mercado?) estou francamente desiludido com a quantidade de “freezes” e “arrastos” que ocorrem. E isto apenas no meu periodo inicial de utilização, sem ainda ter muitas apps a puxar muito pela máquina. Não é que aconteçam a todo o momento, mas quando acontece, é em situaçoes que nao seria de esperar que acontecessem, e torna-se irritante – como por exemplo, a abrir novas abas no browser da internet, a fazer load da TL no Twitter, e cenas do género.

Mas quando funciona, funciona às mil maravilhas, e com a nova interface do Lolipop, dá gosto andar ali a navegar pelas apps e a ver tudo a fluir suavemente à nossa frente, como é suposto acontecer.

De resto, que mais se pode dizer sobre um tablet Android? A verdade é que, da minha perspectiva pelo menos, não há muito a dizer. Não é um aparelho que realmente precise. Não me oferece nada que eu nao possa fazer noutras máquinas que já tenho. Aliás, eu argumento que tablets Android (ou iOS também) são provavelmente a coisa mais inutil e redundante que se pode comprar hoje em dia.

Posso falar da bateria então. É o costume. Promessas de muitas horas de utilização e tal, mas na prática, todos nós sabemos que não é preciso mais de meia hora de utilizaçao intensa (a abrir e fechar apps, a navegar online, a instalar apps, etc) para queimar metade da bateria ou mais. Acontece com este Shield, tal como acontece e sempre aconteceu com todos os aparelhos Android que tive até hoje (e já foram bastantes). E sim, eu sei que voces vão dizer que “não é bem assim” e tal, mas se não é, por favor dêem-me um pouquinho desse pó mágico que tanto vos abençoa e que a mim nunca me tocou no que toca a electrónicos. Obrigado.


Assim parece que tudo é mau. Mas não. Eu é que não sou o tipo de utilizador certo para uma máquina destas. E como expliquei no inicio, comprei por capricho mais que qualquer outra coisa. Na prática, este Shield tablet serve para substituir o meu smartphone quando eu chego a casa depois do trabalho. Tenho um teclado wireless para o Shield, e coloco a combo numa mesinha ao lado do meu sofá na sala de estar. Abro o Wechat e outras apps de IM, e fico ali com aquele conveniente portal de comunicação aberto para falar com quem preciso, e para ir consultando esta ou aquela página online, em vez de ter de lidar com as irritantes limitações de tamanho do smartphone. E é isto.


Tenho vindo a dizer (tal como muita gente), que hoje em dia é dificil justificar a compra de um tablet Android (ou iOS, imo) quando existem já muitos tablets com Windows 8, que com um teclado integrado, servem perfeitamente bem como substitutos de um tradicional computador portatil (isto para utilizadores relativamente pouco intensivos e exigentes, a nivel de hardware). Ainda assim, com o preço certo, e com um design atractivo, existe realmente algo de sedutor num pedaço de tecnologia como o Shield Tablet. 

Sem comentários: