Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

terça-feira, 25 de novembro de 2014

China. 2 anos. Cumprimentos aos amigos.



E já lá vão dois anos de China. Quase 3 no total, se juntar o tempo que passei em Tianjin entre 2008 e 2009. 

Quando somos pequenos ensinam-nos a não começar frases com "E". 

Este blog tem andado mais que morto desde que me mudei para Shenzhen. A verdade é que muito raramente tenho tido vontade de cá voltar para escrever, por demasiadas razões. No entanto tenho frequentemente pensado em escrever. Tenho tomado algumas notas, trabalhado algumas ideias "cá dentro": tanto para outro blog mais dedicado a assuntos chineses, como também para produzir algo mais robusto e pretensioso. Sim, ando com ideias de escrever um livro. Mas provavelmente a acontecer, será quando eu estiver nos meus 50, se lá chegar.


2 anos de China então.

Houve mudanças de emprego. Depois de um ano numa companhia de software absolutamente maléfica (podem ficar a saber porque é maléfica se comprarem o meu livro, daqui por 20 e tal anos) a trabalhar maioritariamente em SEO, e depois de 2 frustrantes meses de pseudo marketing numa grande revendedora online, estou agora numa ainda maior empresa, ligada à industria da electronica. Não vou comentar mais sobre o meu actual trabalho porque a quantidade de NDAs que fui obrigado a assinar quando para aqui vim são suficientes para me enviar para um campo de concentração Nazi na Coreia do Norte para o resto da minha vida se eu por acaso divulgar alguma coisa que não deveria. 


Curiosamente, tenho saltado de grandes empresas para cada vez maiores. O que a um nivel superficial poderá parecer atraente, mas a nível pessoal pode ser bastante destrutivo. Isto porque, quanto maior a empresa, mais dificil é para o individuo conseguir afirmar-se e criar o seu espaço. Se não tivermos cuidado, muito rapidamente nos deixamos dissipar num oceano de drones humanos multitasking onde o conformismo como metodologia de trabalho reina supremo, e o tempo de trabalho produtivo confunde-se com aquele passado com TPS reports...

Ainda assim, como estrangeiro ocidental e de cara lavada, não me posso queixar. Mesmo que me transforme num drone, serei um drone mais bem pago que a maioria dos meus colegas de trabalho chineses. O que é uma grande injustiça. Mas uma injustiça com que eles se devem preocupar, e não eu.

Acima de tudo, tenho ganho uma experiencia de valor incalculavel ao ter trabalhado em tão grandes empresas. Este tipo de "insight" e andamento no interior do musculo empresarial chinês é also que não se aprende em universidades, a ler livros, a trabalhar com chineses lá fora, ou até a viver na China tendo outros trabalhos de "mais fácil acesso", como acontece por exemplo com os muitos estrangeiros que trabalham na China na área da educação (apenas um exemplo). 
Aliás, nunca tendo trabalhado em ambientes de colarinho branco fora da China, temo que um dia possa sofrer de um grande choque cultural de trabalho se vier a desempenhar semelhantes funções em empresas ocidentais. Toda a minha expêriencia neste campo, é oriental.

Para além de mudanças de trabalho, houve também uma forçada mudança de residencia. Forçada porque a senhoria me deu um mês para sair, avisando-me que iria vender o apartamento em breve. Mas há inconveniencias que vêm por bem, e esta situação acabou por ser uma oportunidade para encontrar um novo apartamente muito mais atraente e confortavel, e muito melhor localizado num dos principais centros da cidade. Se ignorar todos os traumas associados a qualquer mudança de residencia na China (esperem pelo livro para saber mais pormenores), posso dizer que nunca me senti tão satisfeito por morar onde moro agora.


De resto, viver e trabalhar na China continua a ser uma experiencia incrivel, a todos os niveis! É algo que só aqueles que por aqui passam conseguirão perceber: o constante estado de alerta e aventura em tudo o que se faz, a acrescida imprevisibilidade do dia-a-dia, a precariedade existencial a médio/longo prazo...mas acima de tudo, a quase infinita tormenta de possibilidades e oportunidades! Viver na China é viver num estado em que acordamos todos os dias com um profundo e permanente sentimento que "hoje tudo pode mudar!". Mais que em qualquer outro lugar, existe a forte possibilidade que algo de totalmente inesperado possa acontecer e dar a volta à nossa vida, ou "apenas" abrir novas e excitantes portas. É adrenalina, que continua a correr, mesmo após anos de cá estar. Mesmo nos piores e mais deprimentes momentos (que os há), aquele pingo de adrenalina nunca pára! Pode-se estar na merda, mas pelo menos é uma merda que nunca aborrece, nem dá espaço para um gajo se aborrecer. É viciante! A China é viciante. Pelo menos para pessoas que gostam de mudança, de andança, e vá, de viver. 

A possibilidade de ter que deixar este país é algo que me assusta e me deixa bastante ansioso. Depois da China, é dificil imaginar-me em qualquer outro lugar. Temo que iria cair num profundo estado de aborrecimento. Depressão mesmo. Tudo acontece aqui na China! A uma escala e a uma velocidade que não tem qualquer equivalente no resto do nosso planeta!

Sem comentários: