Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Millennium 1: Os Homens Que Odeiam As Mulheres


Devorei a trilogia Millennium de Stieg Larsson entre o final de 2009 e Fevereiro de 2010. São três livros avassaladores pela sua dimensão - quantidade de personagens, pormenores de caracterização e tudo o mais. Gostei deles pelas personagens sobretudo, e obviamente pelo argumento também. No entanto sempre achei a narrativa um tanto ou quanto anti-climática nos seus desenlaces, sobretudo no primeiro livro (Os Homens que Odeiam as Mulheres).

Na adaptação de David Fincher ao cinema, mantém-se essa desilusão anti-climática que não satisfaz, e até frustra um bocado (mesmo já conhecendo o final e não sendo uma surpresa). E já que se trata de um filme (ainda que longo), torna-se impossível incluir todo o detalhe do livro, todas as personagens, todas as intrigas e desenvolvimentos paralelos de cada elemento. Balança-se assim um certo sabor de vazio e indecisão para quem está a ver e já leu os livros. O que seria muito mau sinal se não fosse por um pormenor: o filme é bom!

David Fincher conseguiu (certamente recorrendo a magias negras) reproduzir no grande ecrã aquilo que preencheu a minha imaginação enquanto lia as páginas do primeiro volume de Millenium. É até um bocado arrepiante e assustador dar-me conta como tantos dos cenários e situações do filme são praticamente tal e qual como eu as imaginava enquanto lia. É difícil perceber se o mérito aqui recai sobre a capacidade descritiva de Stieg Larsson, ou sobre a capacidade interpretativa de Fincher. Seja como for, é impressionante! E ajuda imenso a tornar este filme em algo de muito especial para o espectador.

O ritmo é bom, os actores estão muito bem (acho que pela primeira vez consegui encarar Daniel Craig como um actor, e não apenas como um gajo qualquer com cara de serralheiro/actor porno), a realização é muito bem trabalhada (naquele estilo de lustro bem polido e brilharete comercial capaz de manter acordados os mais troglóditas e não ferir o orgulho snob dos mais pseudos. Ou seja, à lá Social Network), e no fim de contas temos um bom thriller e uma boa adaptação literária ao cinema. Ainda que não consiga espremer o que era realmente necessário do livro.

Os Homens Que Odeiam As Mulheres de Fincher não é talvez a obra mais bem equilibrada de sempre, nem um filme que ficará nos anais da industria, mas consegue ainda ser um bom filme. Por mais incoerente que isto possa soar. Talvez se crie aqui uma certa esquizófrenia critica da minha parte ao comentar o filme por ter lido os livros (e ser fã). E por mais que certos aspectos do filme me deixem frustrado, não me frustram assim tanto quanto isso. Vejo-me assim obrigado a concluir que esta é talvez a melhor adaptação de um livro ao cinema que conheço. E suspeito também que quem não leu a trilogia de Larsson irá gostar ainda mais.

Espera-se agora é por mais dois filme (por favor!). Pois o verdadeiro doce de Millenium está no terceiro livro...


PS: Esqueci-me de falar. O que fica para a História é o trailer do filme, que para mim é provavelmente o melhor e mais espectacular de sempre. Fica também gravada na minha memória a introdução dos créditos iniciais - fabulosa! É ver e deixar-se deslumbrar...

Sem comentários: