Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Medal of Honor


De longe o meu FPS de guerra favorito desta geração (até ver). Normalmente não destacaria um jogo "deste género" no meu blog, mas para este tenho de abrir excepção pela grande injustiça com que foi julgado aquando do seu lançamento. Criticas boazinhas, mas que no geral o remeteram para a categoria de "só mais um FPS bélico" ou "boa tentativa, mas não suficiente para chegar perto de Call Of Duty". Pois bem, eu discordo por completo. Quanto a mim este reboot de Medal of Honor não só alcança Call of Duty, como o ultrapassa em grande. São os pormenores que fazem a diferença, e este MoH está repleto deles: interacção ímpar entre as personagens, animações naturais, mas sobretudo uma envolvência sonora espectacular e que coloca o som das armas e dos seus disparos na frente da acção, onde devem estar! Também uma história directa e sem ornamentos desnecessários ajuda a fazer deste Medal of Honor um jogo diferente...mais realista (ainda que muito acessível), mais cru, mais próximo, muito mais envolvente e divertido do principio ao fim.

Para mim, sem dúvida um dos jogos mais subvalorizados e incompreendido desta geração de consolas. Não, não inova. Mas faz o que faz melhor que os outros. É a versão matura, mais sofisticada e bem trabalhada de todas as outras ofertas do mercado.


FYI: Tenho imensos jogos em atraso para completar, jogar e começar a jogar. Raramente comento no meu blog o que vou jogando e terminando. Abri apenas uma excepção pra este, que o joguei com bastante atraso, eu sei.

Sem comentários: