Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

terça-feira, 14 de junho de 2011

Animal Kingdom



Numa altura em que o gore e a violência explicita já não conseguem chocar praticamente ninguém, chega-nos este filme, lá de "down under", para dar uma valente lição ao mundo do cinema actual em como não só chocar, mas arrepiar dos pés à cabeça o mais dessensibilizado dos espectadores que possa haver!

Animal Kingdom é uma obra prima! Esta parte fica já esclarecida. Ganhou um festival de Sundance (sempre um bom indicativo, não há que negar nem ser cínico em relação a isso), mas se tivesse tido maior apoio de marketing e uma distribuição mundial firme e abrangente, teria certamente ganho os aplausos até do mais bronco cinéfilo, passando obrigatoriamente pelos críticos mais exigentes. O apelo é universal, mas o trabalho e a sensibilidade são de mestre. 

Brutalissímo, de uma violência extrema que não recorre, de todo, à exposição gráfica da mesma, nem tão pouco aproveita os habituais joguinhos psicológicos para mexer com as nossas emoções. A receita é na verdade bem mais simples, e por isso mesmo tão assustadoramente eficaz: explorar o quotidiano que poderia ser, até certa medida, o de todos nós. O impacto imediato sem dramatismos a ornamentar, e um suspense que se torna por vezes insuportável de tão sufocante que se vai construindo.

É difícil descrever o que faz de Animal Kingdom um filme tão bom. É mesmo um daqueles casos que é preciso ver para perceber. De aparência é muito simples, mas a sua textura é tão profundamente densa que se torna impossível desviar o olhar após os 5 minutos iniciais, acompanhando-se depois cena surpreendente uma atrás da outra. Um pequeno grande épico de baixo orçamento que nos surge de um território tantas vezes menosprezado pela industria, como é a Austrália, mas que de vez em quando surpreende com umas pérolas como esta.

Apetece-me dizer, como fã do género, que este é o melhor filme de gangsters que eu vi nos ultimos anos. No entanto fico bastante hesitante em dizê-lo pois não sei se Animal Kingdom se poderá realmente inserir nesse género. Mas ao mesmo tempo, tenho a certeza que é realmente um clássico absoluto desse tipo (para mim pelo menos), estando apenas disfarçado com uma pele e uma abordagem não muito habitual nestas andanças.
Hmmm....como dizer isto?.....eu quero dizer que este é um dos melhores filmes que alguma vez vi, mas não encontro as palavras certas para o escrever sem parecer exagero. Mas é um dos melhores filmes de sempre para mim, sem dúvida! Chocou-me, arrepiou-me, mexeu profundamente com as minhas emoções, surpreendeu-me com o desenvolvimento da sua acção, e transportou-me do principio ao fim com uma das mais sublimes e bem inseridas bandas sonoras de que eu tenho memória. A banda sonora deste filme é quasi perfeita e de uma enormidade muito incomum! Com um elenco de actores excelente (todos!) e com um ritmo próprio da narrativa e da acção sem maculas, é espectacular verificar como por vezes a musica consegue ainda assim sobre-sair de forma tão evidente mais sem distrair demasiado nem dando "maquilhagem" falsa à acção. Notável! 

Não me lembro do ultimo filme que tenha visto a que possa dar todos estes elogios. Animal Kingdom é...tenho que o dizer, é perfeito! É um daqueles filmes perfeitos, que surge do nada, assim de repente e que nos abala por completo. Ainda estou a tremer...

PS: Prós mais dados a esse tipo de influencias e que não confiam em mim, convém notar que Quentin Tarantino considerou Animal Kingdom como o seu terceiro filme favorito de 2010. Não que, pessoalmente, isto me diga muito. Mas sei que esta curiosidade será o suficiente para convencer uns quantos...
PS2: Eu andar a escrever "PS" em todos os meus últimos artigos é pura coincidência. Tenho sentido necessidade, só isso. Não é de todo uma nova exigência minha.

Sem comentários: