Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro


Existe um muito pequeno e restrito clube no mundo do cinema que é aquele das melhores sequelas de sempre. Esse clube, quanto a mim (e que me lembre assim de repente), incluía até agora apenas dois filmes, que sao eles The Godfather 2 e The Empire Strikes Back (não discuto se alguém quiser incluir o Temple of Doom e o The Dark Knight). Pois bem, a partir de agora podemos acrescentar mais uma obra prima ao grupo, o surpreendente Tropa de Elite 2! Yep...é desse calibre!

Temos clássico absoluto, obra prima em toda a linha! Não apenas um clássico que é aclamado pela critica especializada e ganha uma base de culto nicho, mas um Clássico que tem de ser assumido e apreciado por todo o publico em geral e que se tornará obra de culto intemporal! Se os anos 80 tiveram Scarface, os anos 90 Goodfellas e os anos 2000 tiveram....err....sei lá (Infernal Affairs!Sim!)....então esta segunda década do século 21 tem Tropa de Elite 2!

O que temos aqui é o pacote completo, e uma sequela directa do também excelente primeiro filme, mas que se transcende - e transcende expectativas - a um patamar que não se poderia imaginar. Trata-se de uma postura e de um trabalho ultra-surpreendente, que rasga em muito com os ingredientes que celebraram o original, mas que ainda assim consegue manter intacto o ADN que o titulo transporta consigo, e acrescenta-lhe agora toda uma nova e densa textura que eleva este universo ao patamar de hyper-cinema. Ao topo!

Um argumento trabalhado ao detalhe, complexo, maduro e inteligente, mas nunca confuso e sempre acessível (desta receita se fazem os clássicos). Os pilares que o sustentam são enormes e fortíssimos, assumidos na forma das personagens que povoam Tropa de Elite. Como todo o épico do género, entram caras novas e caem tragicamente velhos conhecidos. Os novos instalam-se vincadamente, e convencem! Os velhos conhecidos, esses, crescem a novas alturas! E o personagem principal, Roberto Nascimento, esse, dá um murro no céu e concretiza-se como um novo ícone que será para sempre citado e tido como modelo a superar (pela comunidade de língua portuguesa pelo menos). Um desempenho fantástico de Wagner Moura, que consegue lançar a sua personagem para aquele camarote de elite onde habitam os Tony Montana e Corleones do cinema. 
Um elenco fantástico, um tralho de casting meticuloso que escolheu a dedo quem iria dar forma a esta realidade. Desde os mais secundários que só surgem por poucos segundos, até aqueles que dão vida a toda a tramóia, todos são excelentes, e a imersão mantem-se total.

Que mais posso dizer de Tropa de Elite 2? Sinto que por mais que escreva nunca conseguirei fazer justiça ao que vi, nem tão pouco preparar alguém para o que irá ver (temo também que poderei estar a criar expectativas demasiado altas que não serão suportadas por muita gente). Não disse nada, mas não quero entrar em pormenores concretos sobre o filme...não quero entrar em spoilers nem estragar a surpresa a ninguém. A surpresa que é, em grande parte, o grande prazer dado por este filme. Pois se existe uma palavra para descreve-lo, teria que ser "Surpreendente!". Isso e ultra-clássico, obra-prima, um dos melhores filmes da história do cinema...enfim, acho que percebem a minha posição.

Trata-se da minha opinião pessoal (como sempre), e escrevo descomplexado de quaisquer correntes que pudessem conter o meu entusiasmo. O meu entusiasmo por este filme é total, e fervo de vontade de o poder rever. E espero ansiosamente, e com muito optimismo, por um terceiro capitulo que mantenha o nível de qualidade, o que transformaria automaticamente a série numa das melhores trilogias de sempre!


Sem comentários: