Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sucker Punch


E o Sucker Punch? Nao desgostei.

Pois, tinha um texto todo preparado na minha mente, muita coisinha a dizer, mas acontece que o vi no dia de estreia, na quinta feira, e entretanto já é terça. Esfuma-se tudo. Comigo é assim.

Aproveito pra falar do meu "processo" de escrita quando se trata de comentários a filmes (e também funciona assim pra livros e videojogos). Enquanto estou na sala de cinema (curiosamente - ou não - muito raramente escrevo sobre algo que não veja no cinema, embora veja muitos mais filmes fora duma grande sala, do que nas cujas) vão-me saltando frases à cabeça sobre o que escrever depois, do que estou a ver. Estrutura-se ao mesmo tempo um esboço mental do texto. É tudo muito instintivo e natural, de maneira nenhuma forçado ou esforçado. 
Preferivelmente passam-se as ideias para o papel virtual assim que se chega a casa, ou pouco depois. No máximo no dia seguinte. Se passar disso, torna-se cada vez mais improvável. O núcleo das ideias e do texto mantêm-se na cabeça...não é que me esqueça. Mas a motivação e o sentido de urgência e actualidade esvaem-se completamente.

Mas alas!, quero ainda assim deixar a minha curta opinião de Sucker Punch. E deixo!

Gosto de Zack Snyder (dos seus filmes)...acho que é dos poucos realizadores que consegue equilibrar com sucesso o cinema jizz-all-over-the-place repleto de efeitos especiais e altamente estilizado com uma alma de genuíno bom cinema, de qualidade (Watchmen é perfeito, quanto a mim)!
Este Sucker Punch é, sem duvida, o filme menos bom do cineasta (dos que vi), mas ainda assim não é o poço de bosta imunda que a maioria da critica tem apontado ser. Falta-lhe a alma e uma certa sensibilidade...perde-se em estraveios (acho que inventei uma palavra) onde a banda sonora demasiado genérica em alguns momentos manda rudes chapadões em cenas que mereciam e tinham potencial pra serem melhores (mas na maioria das vezes está muito boa). É chato por vezes, e a maioria das interpretações de actores é má, a roçar o "propositadamente mau", mas sem chegar a isso (o que é mais grave!), embora um dos actores principais esteja muito bem e acaba por safar o filme nesse particular.
A estória tem ali uma mensagem qualquer bonita e profunda pelo meio (surpreendentemente complexa para o 'aspecto' do filme, ou então apenas granda bullshit sem qualquer tipo de objectivo claro), mas sinceramente não perdi muito tempo a pensar nisso.
As cenas de acção vão desde boas, até muito boas, e melhor que tudo, muito raramente se tornam chatas, o que não seria nada difícil de acontecer. Num filme tão all-over-the-place e show-off, é admirável que Zack Snyder tenha conseguido manter as coisas a bom ritmo e sem cair (muito) no aborrecido e desinteressante. No final fica aliás até uma vontade de gritar "encore!! Só mais um!!". Só mais uma cena de acção espectacular, entenda-se. Por isso, é sinal que alguma coisa ali foi bem feita.

Como disse, é só uma curta e nada aprofundada opinião. Não desgostei do filme. Tem momentos muito bons (muito bons mesmo! E nem estou a falar só das cenas visualmente mais espectaculares), mas também dispara muitos tiros ao lado. 
No final de contas vale pelo que é: uma experiência híbrida, descomprometida de qualquer limite criativo ou intelectual (para o bem e para o mal). Uma espécie de Casshern revisitado e actualizado com tempero ocidental, mas emocionalmente mais oco que o o exemplo japonês. Prefiro o estilo e postura do filme japonês, mas admiro e aplaudo a liberdade e explosão criativa de Sucker Punch.

Sim, fiz questão de pôr muitas imagens da Babydoll. Sue me!

Sem comentários: