Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Pride of Baghdad


Custa-me muito escrever sobre Pride of Baghdad. O que é que se diz sobre uma pequena novela gráfica que se lê em cerca de meia hora e que é talvez, na minha opinião, uma das melhores obras do género de sempre? Avassalador.

Mas é isso mesmo. Pride of Baghdad, um comic sobre quatro leões que fugiram do zoo da capital Iraquiana durante os bombardeamentos americanos em 2003 (história veridica) é um dos livros mais poderosos e marcantes que eu alguma vez li e, neste caso, vi! É quase inexplicavél, mas o valor incontestavel. 
A arte e o desenho são excelentes, de uma luxúria natural e absorvente surpreendentes. As personagens - os leões - são grandiosas, representadas com um esmagador realismo e pormenor e sentido de caracterização quasi perfeito. A escrita, é alienígena...de outra raça (literalmente), mas faz perfeito sentido e desafia-nos constantemente à reflexão. A mensagem do conto é universal e tão antiga como a própria História - o que é a Liberdade? Qual o seu custo?
Mais que as partes que constituem a obra, é o seu todo que se apresenta com um sentido imenso de, e do, extraordinário. Dizer que é indispensável soa, neste caso, a eufemismo. É de facto muito difícil escrever sobre esta obra de arte...

Só me resta realmente sugerir (quase que imperativamente! Vá lá!), para quem ainda não o fez antes, que se desloquem à livraria mais próxima ou loja de banda desenhada e procurem (esgravatem se for preciso!) nas prateleiras por esta fina pérola de tons laranja com o titulo Pride of Baghdad. Uma experiência enorme vos aguarda. Garanto.

É já um grande clássico, sem qualquer duvida ou espaço pra debate. Um Clássico instantâneo! Não sou apenas eu que o digo. Não que a unanimidade seja sempre detentora da verdade, mas a critica internacional é, de facto, unânime na aclamação que dá a Pride of Baghdad.

Sem comentários: