Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

L'Illusionniste

Que bela maneira de começar o novo ano...


Extraordinário. Praticamente perfeito e retentor da essencial  e verdadeira Magia do Cinema. É isto The Illusionist (L'Illusionniste no seu titulo original frances, e O Mágico no português - péssima adaptação lusa). "Extraordinária" é facilmente a melhor forma que encontro pra descrever a experiência que tive na sala de cinema enquanto vi esta imensa obra-prima do cinema de animação. Completamente farto das animações a CGI da Pixar e companhia (que aliás deixei de ver depois do primeiro Shrek), encontro o meu preenchimento necessário pela bela e clássica arte do desenho animado (a melhor!) em obras como esta ou nas sempre excelentes e surpreendentes que nos chegam dos Estudios Gibhli no Japão.

The Illusionist é um filme curto e praticamente mudo, onde os diálogos se resumem a algumas simples e fugidias palavras soltas em francês e outras num incompreensível sotaque escocês. A acção é toda visual e emocional, e a mensagem transmitida na perfeição. A emoção está toda à flor da pele desde o inicio ao final da fita, logo a partir dos primeiros segundos (vos garanto) até ao denso e mágico desenlace final.
A lágrima está sempre suspensa ao canto do olho prestes a cair, acompanhada de um inamovível sorriso - a emoção pela beleza e arte em puro estado de graça, e não por qualquer lamechice ou truques fáceis e esgotados do cinema habitual. Isto sempre com a ajuda de um fortíssimo e maravilhoso pilar, em forma de banda sonora. Banda sonora essa que só se revela plenamente nos créditos finais - como se um misto de fechar e abrir de cortina do espectáculo - deixando um arrepio de nuca final afiadissímo que nos acompanhará largas horas depois de deixarmos a sala de cinema, enquanto se cicatriza silenciosamente. Assim é L'Illusionist. Um dos melhores filmes de animação de sempre...um dos melhores filmes de sempre. Sem duvida o melhor filme de 2010! Que eu tenha visto pelo menos...

Deixo o trailer, que por si só é uma pequena obra prima que só não cativará os mais frívolos de coração e mente. Mais palavras pra quê? É ver pra compreender...:



Ando a escrever de forma muito pretensiosa....bem, é mais fácil.

Sem comentários: