Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Le Futur est pas loin

Afinal quando começa o Futuro?

É algo que se tem perguntado muito ultimamente, sobretudo entre os populoços da(s) geração que cresceu influenciada pelos filmes de ficçao cientifica da década de oitenta até meados da de noventa. Quando chegará finalmente aquele momento em que poderemos dizer "epá ya, tou no futuro! O meu 'eu' de 9 anos iria ficar admirado se podesse viver no mundo de hoje!"?
Tenho uma opiniao que penso poderá responder a isso. É simples: estaremos no Futuro quando deixarmos de perceber como funciona o ambiente que nos rodeia. No sentido fisico em particular. Passo a explicar...
Até há relativamente pouco tempo, antes da grande transiçao para a Era Digital (que marca o "inicio do Futuro"), ou seja, durante a Era Analógica, quase todos os objectos com que se interagia eram relativamente faceis de compreender, de um ponto de vista mecanico em geral. Se uma televisao se avariasse, levava-se ao vizinho repara-tudo e ele arranjava na boa (isto se nós proprios nao o conseguíssemos fazer). O mesmo para o rádio, para o telefone, o carro, o frigorifico...etc e tal. Enfim, toda a aparelhagem electrica e electrodoméstica com que convivíamos (e convivemos). 
Hoje isso já nao acontece. Pelo menos não em semelhante escala. Um telefone avaria? Já ninguem usa telefones. Um telemovel avaria? F*da-se...bah, mais vale comprar outro! Uma televisao (plasma/lcd) avaria? F*da-se...tá na garantia? É que senao mais vale comprar outra. O leitor de mp3 avaria? Ora porra...enfim, de qualquer forma já tava a precisar de um com mais gigas. A consola de jogos avaria? Tem de ir prá marca (sim, antigamente o vizinho repara-tudo tambem era capaz de concertar a Mega Drive. Que era aliás a unica consola que se avariava n'altura). O carro avaria? Epá isto agora com os cenas electronicos e computadores de bordo...se calhar o melhor é ir prá marca. Etc, etc e tal. Ou seja, hoje em dia já nao sabemos como a maioria das coisas que utilizamos funcionam. Podemos ter certas noçoes teoricas e tal, mas no fundo no fundo, ja nao temos controlo sobre quase nada. 
E o Futuro é isso mesmo...utilizar as cenas, mas no fundo nas as conhecer realmente. Quando tudo for estranho no seu funcionamento, mas intuitivo na sua utilização, então estaremos finalmente no Futuro! Estamos quase lá...

2 comentários:

Domingos disse...

o 3D (sem óculos) em casa e em cada esquina são coisas do futuro ou simplesmente fogo de artificio que no passado usávamos para abrilhantar o futuro? (vide regresso ao futuro 2 com o cartaz a anunciar o Jaws XX*#I)

Pergunto isto conhecendo o teu ponto de vista sobre os 3D actuais

Leinad disse...

Esse 3D do futuro acho que era mais na base do holograma mesmo, o que é ainda mais awesome (e intrusivo). Mas ya, o 3D sem oculos em todo o lado tambem já seria qualquer coisa...