Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

domingo, 3 de janeiro de 2010

TOP 11 MELHORES JOGOS 2009



Pretendia fazer um top dos meus 11 videojogos favoritos de 2009, e para isso fui verificar o meu gamercard do Live e a minha jogoteca(?) da PS3 (que sao basicamente as duas plataformas em que mais invisto) para criar uma lista dos jogos que havia jogado e completado durante este ano. Cheguei com isso a algumas conclusoes. Uma delas é que joguei muito poucos jogos que sairam neste ano que passou, e se fizer um top 11 dos melhores do ano, basicamente estarei apenas a enumerar os jogos todos que completei. Outra conclusão que concluí e verifiquei, é que este terá sido, provavelmente, o ano em que mais jogos joguei e terminei durante toda a minha vida! Tendo estado longe de Portugal (algures ali pra Este da Somalia) na ultima e primeira metades de 2008 e 2009 respectivamente, e afastado de todas as minhas consolas (excepto PSP, DS e PC, but who gives a frack about those?), vi-me privado de jogar muitos dos jogos que iam sendo lançados. A consequencia disto é que durante este ultimo verão passei grande parte do meu tempo a compensar, jogando os titulos que me tinham escapado entretanto (nao so no ultimo ano, mas tambem de 2007) e tambem adquirindo novos que iam saindo e me interessavam. Só para terem uma ideia, entre Maio e Setembro joguei e concluí Mirrors Edge, Kane & Lynch, Saints Row 2, Prince of Persia, Bioshock, Fallout 3, The Lost and Damned, Brothers in Arms: Hell Highway, Gears of War 2, Battlefield 1943, Batman: Arkham Asylum e mais que agora nao me consigo lembrar. Isto em doses muito concentradas, pois passei tambem algumas porçoes do verão novamente afastado de Portugal e das minhas consolas. Mais recentemente ainda joguei e concluí Fable 2, Wet, The Ballad of Gay Tony, Uncharted 2, Halo 3: ODST, Assassins Creed 2, Operation Flashpoint: Dragon Rising, Resistance 2 e...provavelmente mais um ou outro que agora tambem nao me recordo. E isto foi só jogos que completei! Tambem joguei muitos outros ao acaso e deixei ainda muitos mais por jogar e que, se poder, irei tratar de lhes dar uma oportunidade em 2010. 2010 que tambem está carregado de jogos indispensaveis e que eu espero com enorme expectativa.
Ou seja, ser jogador, nestes ultimos tempo, não está facil! Nada mesmo. Mas o prazer de jogar mantem-se sempre, pelo menos enquanto continuarem a existir propostas tao boas como as que se têm visto.

Dito tudo isto, que foi uma tremenda seca, decidi ainda assim fazer o meu topezinho de favoritos do ano.
Fica desde já o aviso que este top é inteiramente pessoal e preenchido apenas por jogos que eu tenha completado e que tenham sido lançados em 2009. Tambem convem frisar que embora este ano tenham saido alguns titulos para a Wii que me interessam bastante (o mais recente Silent Hill, Madworld e House of the Dead nomeadamente), infelizmente nao tive ainda oportunidade de os jogar, e portanto este top é constituido apenas por jogos prá PS3 e Xbox 360. Quanto ao PC, só jogo FM. E nas portateis....na PSP só jogo Lumines, PES, Guilty Gear e Street Fighter 3, enquanto que a DS está algures a apodrecer, nem sei bem onde.

Sem mais demoras, e por ordem decrescente, passemos entao ao TOP! O TOPE 11! Le TÔPÉ! O PICO! Os meus favoritos de 2009!

11 - Killzone 2


Este é uma excepçao. Analisei o meu potencial top 11 de 2009 e cheguei á conclusao  que seguindo as minhas proprias regras que expliquei em cima, nao teria titulos sufecientes para o preencher. Sendo assim decidi incluir Killzone 2, que nao terminei e que me desiludiu bastante. Mas calma...
Desisti do jogo prái no ultimo nivel, por isso ainda assim consigo ter uma boa ideia da obra. É um FPS super banal, linear, completamente rip-off de Halo, Gears e outras cenas, e com graficos falsamente espectaculares (parecem ser bons, mas quando bem analisados é tudo muito esbatido/blurry e simples). No entanto, é bastante divertido e tem alguns dos melhores tiroteios em que alguma vez me envolvi num FPS. Ou seja, o jogo é genuinamente divertido e excitante. E é por isso que está na top. O meu top. Le top!


10 - Operation Flashpoint 2: Dragon Rising




Eu adoro este tipo de jogos. Adoro! Shooters tacticos realistas...hmmm....tao booom! Eu chamo a este tipo de obras "jogos zen", porque o sao. Sao experiencias pausadas, calculadas, reflectivas, pacientes e relaxantes. Pelo menos para mim.
Sendo já grande fã do primeiro Ghost Recon (o primeiro mesmo, no PC. Nao o primeiro desta geraçao) e do Operation Flashpoint original, era com grande impaciencia que aguardava por esta sequela, mesmo que nao fosse produzida pelo mesmo pessoal que fez o primeiro. A ideia de um verdadeiro FPS militar tactico pra consolas era demasiado aliciante. O resultado final...acabou por desiludir um pouco. É um jogo com bastantes falhas a nivel de jogabilidade e na concepçao das missoes (alguns objectivos nao fazem sentido nenhum num contexto realista, que é o que se pretende), mas que ainda assim deu pra saciar a sede por um jogo do género. Viciante, divertido, e mais todas as outras caracteristicas que enunciei em cima para os "jogos zen" estão presentes neste Dragon Rising. E para mim isso bastou e é razao sufeciente para o incluir no meu circulo de favoritos do ano.


9 - WET



Voces nao imaginam o tempo que levei a escolher a imagem certa para aqui colocar para identificar WET. Acabei por escolher esta...já estou meio arrependido, mas agora fica. É que se ha coisa que WET consegue fornecer em abundancia, são bons screenshots. E isto acaba tambem por ilustrar o grande problema do jogo e a razao porque tambem foi uma especie de desilusao para mim (wow! de certeza que isto nao é um top dos piores do ano?!). Existe uma tenue linha entre o ser xunga fixe, e ser xunga apenas xunga, foleiro. WET esforça-se tao desesperadamente por ser xunga-cool com o seu estilo grindhouse e Kill Bill mix, que infelizmente, no seu todo acaba é por ser bastante xunga mesmo! E apenas xunga. Isto de um ponto de vista de apresentaçao, porque no nucleo de WET encontra-se um jogo muito divertido, directo, viciante e extremamente variado. Um daqueles jogos de fim de semana, que se começa a jogar e muito dificilmente se consegue depois largar enquanto nao virmos os créditos finais. Apesar de a nivel de apresentaçao WET ter sido um meio tiro ao lado, no fundo no fundo conseguiu ainda assim ser um dos jogos mais divertidos do ano e que eu recomendo sem qualquer hesitação.


8 - Resistance: Retribution (PSP)



"Então mas nao tinhas dito que este top só iria incluir jogos prá PS3 e 360?!". Sim disse, mas como muitas vezes o digo tambem, sou um gajo bue de excentrico e imprevisivel que gosta de criar surpresas totalmente inesperadas. Além disso, só depois de já ter começado a fazer este post (quando se trata do blog, nunca sei se hei-de dizer "post" ou "artigo". raisparta!) é que me lembrei que tinha jogado este Resistance portatil em Março passado e que, por acaso, até gostei muito da experiencia. E é tambem por essa mesma razao que este é um top 11 e nao um habitual top 10. Sou um gajo muito pratico...
Já havia falado do jogo num anterior....post. Este. E pronto, ficou a minha opiniao. É um jogo divertido e um dos melhores disponiveis para a portatil da Sony (olha a boca cheia!).


7 -  Assassin's Creed 2



Nao joguei o primeiro Assassins Creed porque o meu instinto, mesmo antes do jogo ter saido, sempre me levou a crer que era um jogo falhado. E pelo vistos tinha razao...em parte pelo menos. No entanto a sequela interessou-me bastante e decidi comprar o jogo. Nao me arrependi nada, e direi mesmo que o jogo superou bastante as minhas expectactivas. Muito boa historia, ambiente, pormenores historicos incriveis (eu sou daqueles gajos que leem os documentos todos sobre os monumentos, personagens, localizaçoes, etc), jogabilidade libertadora e refrescante, bons graficos. Enfim, um jogo de muito boa qualidade mesmo. E se jogado totalmente em italiano (o jogo situa-se em italia e todas as personagens sao italianas), como eu fiz, torna-se numa experiencia unica no panorama dos videojogos.
Só nao o coloco numa melhor posiçao neste top porque, apesar de tudo, o jogo nao me marcou muito profundamente...deixou-me ainda assim com uma certa sensaçao de vazio que eu nao consigo muito bem explicar. Mas nao hajam duvidas, é muito bom!


6 -  Battlefield 1943



Sem duvida o jogo que mais horas me ocupou este ano. Este é para mim o maior vicio online desta geração! Nao sei que mais dizer sobre este BF '43...quem joga comprende a enorme diversao e vicio que este jogo provoca em nós. E quem nao joga...epá nao vale muito a pena estar aqui a explicar o que é que faz deste BF algo de tao bom...é um FPS online com grandes mapas, veiculos, cenarios destructiveis e japoneses  que na hora da sua morte gritam como bichas malucas a serem enrabadas em pleno Carnaval do Rio. Basicamente. É preciso jogar pra perceber...


5 - Grand Theft Auto IV: The Lost and Damned



Anteriormente tambem já aqui deixei a minha opiniao sobre este primeiro DLC de GTA4.
Fantástico. A nivel de historia, personagens e coerencia do seu universo, este é provavelmente o pedaço mais solido de GTA de sempre.


4 - Halo 3: ODST



Genial! Genial como a Bungie, pegando nas mecanicas e formulas bem estabelecidas de Halo conseguiram criar ao mesmo tempo um best-off de Halo e tambem um dos mais originais e refrescantes FPS desta geração! ODST é isso tudo...e ainda muito multiplayer. Mas eu caguei no MP, o que me interessa sempre num jogo é sobretudo o singleplayer. E nesse departamente ODST nao desilude nada, superando até as minhas mais irrealistas expectativas.
Este jogo é totalmente esquizofrenico, mas no bom sentido. É um best-off de Halo porque apresenta algumas dos mais espectaculares e empolgantes niveis da saga Halo utilizando situaçoes inspiradas noutras que já haviamos visto em jogos anteriores mas acrescentando-lhes uma nova grande dose de acçao. Estou a falar das missoes dos flashbacks. Para além disso, tem um jogo totalmente diferente, dentro do proprio jogo, que se desenvolve quando controlamos o personagem Rookie, que é uma especie de detective soldado que deambula pelas desoladas ruas nocturnas da megalopolis Nova Mombaça acompanhado de uma das melhores bandas sonoras de sempre! Halo sempre foi unanimamente aclamado no departamento sonoro, mas ODST é mesmo de se lhe tirar o chapeu! As faixas jazz/moodie criadas para as secçoes nocturnas sao deliciosas, e proporcionam uma experiencia incomparavel no contexto dos FPS.
Toda a experiencia, no seu todo, é unica. Nao existe nenhum FPS igual a este, e quem se atreve a dizer que isto é mais do mesmo e que é demasiado curto e coiso e tal...epá...stfu. Joguem mas é o jogo.


3 - Grand Theft Auto IV: The Ballad of Gay Tony



Aaaahhhh....que maravilha este jogo! Que maravilha! Este Gay Tony (tal como The Lost and Damned), nao é uma mera expansão, mas um jogo completo por merito proprio! E este é mesmo, a meu ver, o melhor pedaço de GTA desde Vice City!
Que dizer sobre a Balada de Gay Tony? É fantastico! É sexo, drogas e muita disco music! É estar num momento a fazer um stand-of de dança com um gajo numa disco gay seguido de uma grande coreografia electrizante com todas as pessoas que estao na pista de dança, e logo a seguir participar em missoes onde controlamos helicopteros armados até aos dentes e andamos a fazer explodir inteiras carruagens de metro! É do caraças!
As personagens sao brilhantes, as estaçoes de radio estao melhores que nunca (no contexto de GTA4)  - sempre com destaque para o já mitico DJ Lazlow - as missoes sao das melhores de sempre...enfim. É mesmo muito, muito bom!
Sinto no entanto que nao se está a dar o devido crédito á Rockstar pelo trabalho que eles fizeram com GTA4 e os seus DLC. Quem jogou GTA4 saberá que uns certos diamantes estão bem presentes na narrativa do jogo. Estao tambem presentes em The Lost and Damned e este ultimo Gay Tony dá o desenlace final (e fabuloso) á historia das pedras preciosas. Ora mas o que a Rockstar fez com o jogo principal e estes dois DLC não é mais que uma obra de génio em forma de triologia como até agora nunca se viu num videojogo! Ao terminar a Balada de Gay Tony em dei-me finalmente conta que tinha assistido a algo de verdadeiramente unico e que até no cinema nao tem grandes paralelos. A historia dos diamamentes foi repetidamente contada nestes tres episodios sempre na perspectiva de diferentes personagens que se acabam sempre por cruzar no mesmo universo em que residem, culminando com um muito bom desenlace final para o grande arco da historia. Isto realizado de uma forma brilhante mesmo! Se fosse caso disso, poderia-se criar apartir daqui uma excelente triologia de cinema! Esta triologia é, quanto a mim, um enorme marco na historia dos videojogos! E atençao, que nao hajam duvidas,  os dois episodios de DLC de GTA4 nao sao meras expansoes de bonus. Sao sim  complementos indispensaveis que formam um todo unido e inseparavel com o jogo principal (GTA4). Quem nao jogar os DLC, nao poderá dizer que terminou GTA4, porque de facto nao o fez.
Um marco da industria, que infelizmente está a passar totalmente despercebido a toda a imprensa especializada...


2 - Uncharted 2



O jogo que é filme e o filme que é jogo. No fim de contas é o jogo perfeito e a exacta definiçao de acçao-aventura interactica.
Uncharted 2 é tao bom a tantos niveis que nem vale a pena tar aqui com grandes paleios. Digamos apenas que eu passei o jogo quase todo do principio ao fim duma só assentada, e sem nunca me fartar! Eu já adorava o primeiro jogo e já o considerava grande classico, mas esta sequela veio catapultar ainda mais a qualidade da serie. A serie perfeita. Jogo perfeito. Nao tenho mais nada a dizer. Nao vale a pena. A serio. Tipo...ya. Uncharted.


1 - Batman: Arkham Asylum



Este jogo nao é um filme, nem é um filme que é jogo. Batman Arkham Asylum é o jogo que qualquer filme gostaria de poder ser mas nunca o poderá ser porque existem experiencias que estão exclusivamente reservadas aos videojogos.
Escolho este Batman como o meu jogo do ano porque foi aquele que mais me surpreendeu e foi a melhor e mais solida e gratificanete experiencia que tive com um jogo nestes ultimos 12 meses (e quiça muito mais prá'lém disso). E sublinhe-se o "solido", pois este jogo é uma autentica pedra de qualidade! Nao há por onde lhe apontar falhas ou buracos...tudo aqui está polido ao maximo atingindo niveis de perfeiçao quasi absurdos por vezes!
Tambem já havia aqui deixado a minha opiniao sobre o jogo quando o joguei, e por isso nao me vou estar a repetir. Mas quero deixar bem claro que se neste ano que passou só tivesse saido um unico jogo pró mercado e esse jogo se chamasse Batman Arkham Asylum, então teriamos tido ainda assim um ano excepcionalmente bom nesta industria. Este jogo nao é indispensavel...é imparavel! BAM!

3 comentários:

TiagoRocha disse...

O Wet merece mesmo estar na lista!
Escolheste bem a lista, eu apenas trocaria o Halo ODST pelo Forza 3. de resto, tudo 5 estrelas!

Domingos disse...

Sim senhor Leinad, esperava uma lista toda pseudo, mas acabaste por me surpreender pela forma simples e descomplexada como abordaste cada jogo e este mesmo top.

Não joguei a maior parte dos jogos que ai tens, mas terminei o Uncharted 2 e estou a jogar Batman: AA neste momento e sendo duas experiencias totalmente distintas, seria para mim muito dificil escolher só um deles. São das melhores experiencias que vivi nos ultimos anos neste mundo dos videojogos (isto com a limitação de quem desta geração apenas possui uma PS3) alcançando e talvez até ultrapassando a experiencia que foi o MGS4.

Foi um grande ano para mim em termos de qualidade videojogavel principalmente por causa desses 2 jogos. A industria está de parabens por isso. E tu estás de parabens por este top que sem ser pseudo consegue ter uma marca definitivamente tua... e melhor que isso é impossivel

Leinad disse...

Epá obrigado pelos comentarios, e caraças Domingos, acho que esse foi o comentario mais longo que alguma vez alguem aqui deixou.

Pá e eu fazer listas pseudo só quando me der ao trabalho de fazer um top de botanica ou algo do genero. Eu luto o pseudosismo (e o pseudismo tb) sempre!