Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

sábado, 14 de junho de 2008

Falemos de tecnologia...

Image Hosted by ImageShack.us

Falemos então!
Hoje, pela primeira vez, experimentei, pessoalmente, um filme em Blu-Ray (sou o unico a pensar que a ausencia do "e" em "Blu" faz parecer que o nome do formato foi inspirado na industria porno?!). Foi com aquele recente filme do Brad Pitt cuja duração é apenas rivalizada pela extençao do titulo...ya, O Assassino de Jesse James coiso tal whateva que seja. Nao vou dar opiniao agora sobre o filme, talvez um dia (that means never).
Depois do que pareceu ter sido um mês a ver o dito filme, e sempre a olhar pró televisor com extrema atenção á espera de a qualquer momento me surgir uma expressao do tipo "Hey! Cá está o poder do BR!!", finalisei a experiencia retirando uma conclusão: Blu-Ray totally owns blacks!
Não, não é nenhum comentário racial, é apenas que, realmente, a unica grande melhoria que consegui observar em relação aos tradicionais DVDs, foi o dominio do preto na imagem...dos tons escuros em geral, mas sobretudo do preto preto, pitch black! Isso por acaso sempre foi algo que me meteu um bocado de confusao sempre que via um filme (ou série ou o que seja) em DVD é que nas cenas de escuridao total, ou parcial, o formato nunca me pareceu ser realmente capaz de dominar essa "cor" (ya, o preto é ausencia de cor...ok), resultando quase sempre numa mistura de azul muito escuro meio distorcido que muitas vezes se fundia nos contornos mais claros com que entrava em contacto. Enfim, é dificil de explicar, mas os mais atentos a estas coisas com certeza saberão exactamente do que estou a falar....
Já o BR, pelo contrário, domina totalmente o preto, tal como eu já disse, e isso, realmente entusiasmou-me bastante enquanto ia vendo o filme. Por outro lado, fora isso isso do preto, não consegui detectar nenhuma melhoria realmente muito significativa (eu sei que é melhor que o DVD! Apenas tou a dizer que não é nada que salte logo, explicitamente, aos olhos de qualquer um). Também é verdade, pra ser justo, que embora a minha TV a ser exibida em 1985 pareceria saída de um filme sci-fi do futuro, hoje em dia está longe daquilo que o chamado "Full-HD" tem pra oferecer: suporta no maximo 1080i e nem tem hdmi....mas ainda assim, nao deixa de ser High-Def, e portanto, muito sinceramente, esperava encontrar algo mais que me deixasse de olhos bem abertos depois de pôr o disco BR na enorme cena preta cujo nome não deve ser pronunciado e que vai ter como melhor jogo este ano um antigo exclusivo duma plataforma rival que aquando da sua saída já estará no mercado, prá outra dita plataforma, há cerca de um ano (it has no fucking games!!!).

Anyway, e é impressão minha ou isto do Blu-Ray realmente não está arrancar como deveria? Não, não é só minha, também é de varios analistas. Não que eu não acredite que o BR não vá conseguir, eventualmente, atingir o nivel de mass market que o DVD atingiu, mas acho que é indiscutivel que está a ter muito mais dificuldade em lá chegar que o DVD teve no seu tempo...que nem foi assim há tanto quanto isso btw.
É assim, pessoalmente, eu sei que enquanto os BR custarem entre 23 e 30 euros como custam actualmente, e tendo a alternativa, irei continuar a comprar DVDs, até porque esta minha experiencia com o BR mostrou-me que claramente a diferença de preço nao vale a pena (talvez quando/se eu tiver uma tv daquelas de 3000 euros mais um home-cinema de 1500 e um aspirador que não me obrigue a inclinar as costas mesmo não sendo preciso já que o tubo é sufecientemente comprido pra poder aspirar estando de pé.....talvez aí eu opte pelos BR).

E depois temos a cena que a Microsoft nos quer impingir, os conteudos em alta definiçao por download. Ora mas que crl é isso?! Tipo, eu se vou pagar 10, ou 15 ou 20 euros ou o que seja por um filme, eu quero tê-lo fisicamente!! Quero ter uma caixa e um recibo! Quero ter algo que, se bem preservado, ainda possa exibir daqui a 20 anos. Eu nao sei qual é este futuro para o qual caminhamos em que tudo parece se orientar cada vez mais pró formato digital, mas quanto a mim não ha nada como sentir as coisas nas nossas mãos. Tê-las realmente! E tenho cá a impressão que se a M$ levar com a sua adiante, em 2030 eu vou ser um triste cota antiquado fazendo lembrar um pouco o Will Smith no I,Robot :/

Muitas incertezas....muitas incertezas. Falta aqui uma terceira hipotese. Alguem que se meta no meio da M$ e da Sony e as mande a ambas lá prás trevas de onde vieram e pra onde constantemente tentam levar os seus consumidores. Mas hey, not Nintendo! LOL o desepero pode ser muito, mas também é preciso ir com calma. Já me bastou a minha recente crise de personalidade que quase me levou a comprar o Wii Fit! For fuck sackes, ainda bem que recuperei os sentidos a tempo e não fiz! É que tipo...Nintendo?! C'mon! Tipo.....não.
Gosto da Samsung no entanto. Pena ser da Coreia do Sul, que é só o país mais retardado daquela regiao do globo. E sim, a China e o Japão já sao os equivalentes aos filhos de um casal de irmãos com Trissomia 21, portanto veja-se lá! Btw, o que se passa com aqueles países?!
Ainda assim, como tava a dizer, curto da Samsung, embora o que eu gostasse mesmo era de ver uma marca europeia a desbastar esta porcaria toda como deve ser - Philips...Hello?! Anybody home? Think Mcfly! Think! You got da money to do it!!

Btw, comecei a ver Veronica Mars....ya....lol. Ah, e outro btw, quem não vê Skins é gay! E Battlestar Galactica....e MadMen. E assim arrumei com o assunto pendente das séries ;)

Image Hosted by ImageShack.us

2 comentários:

Lucífera disse...

First of all, preto é a ausência de luz.
Bem focado!!! Sempre reparei nessa cor a que supostamente chamaríamos preto e, realmente, não o era. That's a good point here!

Nando disse...

Oi M.I.A