Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Splinter Cell


Que saudades que eu tenho de jogar um Splinter Cell...

Já lá vão prái uns dois anos desde que o último, Double Agent, saiu, e entretanto os fãs como eu, têm andado a salivar por mais.
Bem sei que já nao deverá faltar muito para o próximo titulo da saga - Conviction - sair (será que se irá realmente manter um exclusivo 360?), no entanto, e por mais que eu goste de inovação e "coisas novas", a verdade é que o que eu realmente queria agora era um Splinter Cell como os primeiros! Como o primeiro ou o terceiro - Chaos Theory. Não que eu nao tenha gostado do segundo, Pandora Tomorrow, mas considero-o mais como uma especie de expansão do primeiro do que propriamente uma sequela total.
Os três primeiros Splinter Cell foram (e são ainda) o pinaculo máximo da acção furtiva videojogavel! Uma excelente mistura de gráficos (o primeiro foi uma pequena revolução, com o seu sistema de luzes e sombras nunca antes vistos até aí), jogabilidade, historia e boa escrita e, acima de tudo, um excelente e muito carismático protagonista, Sam Fisher. Sam Fisher uma das melhores personagens criadas durante a época das 128 bits e já um icone incontestável no mundo dos videojogos.

Mas como tava a dizer, os três primeiros Splinter Cell foram realmente algo de imbativel no seu género. E já agora aproveito pra mandar o comentario obvio e mais que sabido, mas que ainda assim me poderá custar a acusação de ser fanboy: os três primeiros SC, pra serem bem aproveitados, tinham, imperativamente, de ser jogados na Xbox (ou no PC...se tiverem um bom pad). Isto porque em SC, mais que em muitos outros jogos, os gráficos são realmente importantissimos, particularmente a eficacia no jogo de luzes e sombras, e só na consola da M$ se podia vislumbrar a obra como ela realmente era idealizada pelos seus produtores. Btw, e por falar em gráficos, ainda hoje não percebo muito bem como é que Chaos Theory (o terceiro) na Xbox (primeira de seu nome) tem aqueles gráficos, tipo, super bons!! Um verdadeiro next-gen antes das ditas next-gen! Incrivel feito, no minimo.
E também, antes que perguntem, eu gostei do quarto titulo, Double Agent. Aliás, gostei bastante, sobretudo devido á grande evolução presente da personagem Sam Fisher (quem diria que ele tambem tinha dotes de galã á lá James Bond?). Mas Double Agente já fugiu, em certas fases, daquilo que era o nucleo hardcore dos anterios titulos. E ainda bem. Foi muito refrescante...mas também é por isso que gosto de meter os três primeiros jogos num pacote unico, deixando este DA num outro pacote, que provavelmente se irá expandir com Conviction.


Mas ao fim ao cabo, Splinter Cell era sobre controlo! O controlo que o jogador sentia ter sobre quase todas as situaçoes. Era aí que residia o seu grande gozo, e é por isso que agora tanta vontade tenho tido pra jogar um SC. Encarnando Sam Fisher, nós é que decidiamos como encarar cada situação, como resolver cada problema...no fundo, como, quando, e de que maneira iriamos matar/imobilizar o próximo inimigo. É uma liberdade tremenda entregue ao jogador que vicia duma forma estupida mesmo! Na maioria dos casos, tanto poderiamos estar escondidos nas sombras durante 10 ou mais minutos só a planear cuidadosamente a nossa próxima investida furtiva, como poderiamos imediatamente pegar na arma principal e começar um ataque á Rambo! Embora esta ultima hipotese, dada a própria natureza do jogo, dificilmente surtiria sucesso. Mas lá está, a hipotese estava presente, e para os mais dedicados e especialistas, qualquer uma poderia ser aplicada com sucesso. E é isso, mais que tudo o resto, que eu tanto gostava em Splinter Cell: o controlo da situação...o jogo de paciencia...a sensação de relaxamento sádico que o jogo proporcionava, embora os momentos de tensão e adrenalina também não fossem escassos.

Quanto ao Conviction, o quinto jogo da saga (saga de Sam Fisher...série Splinter Cell), cá estou eu anciosamente á espera! Mas temo ficar desiludido. Toda a cena das multidoes e tal, e tudo á luz do dia realmente é interessante, mas tendo em conta os resultados obtidos em Assassins Cred, só posso ficar de pé ligeiramente atrás. Espero estar enganado, e que o jogo seja excelente e cumpra todas as promessas...mas nao sei. O que eu queria mesmo era um Splinter Cell á antiga! Tudo escuro...night vision...movimentaçoes ultra silenciosas...e pôr inconscientes uma miriáde de inimigos sem eles se darem conta do que lhes aconteceu sequer!

E pronto, serviu este artigo só pra recordar esta grande série, que apesar de ser tão recente, é já um portento da industria, e da qual eu sou um fiel seguidor (só nao joguei o da PSP e da DS...e da N-Gage, nem pretendo faze-lo. Mas joguei os SC java pra telemovel lol).

E antes que comecem com comentarios do tipo "ah e tal dizes que SC é o pinaculo da acçao furtiva e tal...entao e o Metal Gear?! Metal Gear Solid é que é!". Epá, Metal Gear é absolutamente excelente, mas por favor nao comparem SC com MGS! Sao duas séries que têm muito pouco a ver uma com a outra. Sim, em MGS tambem se dá grande enfase á acção furtiva, mas isso é apenas uma parte da essencia da série. Metal Gear é sobretudo reconhecido pela sua história, pela vertente cinemática, pelas personagens e sua complexidade, e além disso, MGS tem muita mais acção pura e dura (tiroteios desenfreados, bosses marados e cenas do género) do que Splinter Cell. Em SC o foco principal é mesmo a vertente furtiva, a jogabilidade em si, a mecanica de jogo. Isto apesar dos SC virem quase sempre acompanhados de uma historia mais ou menos interessante e bem escrita (Chaos Theory e Double Agent serão sem duvida os melhores exemplos), e o próprio Sam Fisher ser uma personagem bastante complexa e desenvolvida...dentro dos possiveis.
Ou seja, não estou a dizer que SC é melhor que MGS nem o contrário! Estou apenas a deixar claro que são dois jogos muito diferentes e que nao devem ser comparados lado a lado como normalmente se faz. São ambos excelentes, mas de forma diferente. Tá dito...

3 comentários:

Nando disse...

Jogaste as duas versões do Double Agent? A versão next-gen e a para as consolas antigas?

Se não, podes ir por aí para saciar a tua sede x)

Leinad disse...

Hmm...true. Nunca mais me lembrei disso. Realmente nunca cheguei a jogar a versao Xbox1. A ver se arranjo...

RedNimik disse...

Sempre gostei de SC, infelizmente não joguei o DA. Vou ver se o arranjo.