Deixem o vosso e-mail para receber notificações de novos artigos...e ganhar brindes

segunda-feira, 9 de julho de 2007

FORZA MOTORSPORT 2 - review


Let's ride till dead do us apart...


Bem, ultimamente não me tem surgido grandes "coisas" pra escrever, por isso pus-me a pensar em algo que me interessasse (interessá-se; intereçasse; interessace.....fdx quando me confundo com estas cenas já é mau, mas ás 4 da manha ainda pior é!) e sobre o qual eu tivesse de facto algum conhecimento de causa. Sendo assim, pensei "Epá, já sei, vou escrever sobre videojogos!". Entao foi assim, resolvi que iria escrever algo relacionada sobre o fantásticamente mirambolante mundo dos videojogos. Mais concretamente iria fazer/escrever uma critica a um jogo. E pronto, é agora que o blog ficou totalmente deserto....

Enfim, decidi entao escrever uma critica a um jogo, mais concretamente ao Forza Motorsport 2 prá Xbox 360 (aquela outra consola que se vê nas lojas que nao é Playstation nem tem nome de mijo). Decidi fazer sobre este jogo porque é o que estou agora a jogar com maior frequencia, além de que é a minha ultima aquisiçao de consolas domésticas (Jovem, diz nao á pirataria! Ou corres o sério risco da pirataria te negar daquilo que mais gostas!).

So pra acabar esta introdução, quero so dizer que provavelmente irei escrever mais criticas no futuro, embora isto nao vá ser nada de muito regular. Ah, e sim, as criticas (e já esta inclusive) serão o mais imparciais e justas possiveis, independentemente da plataforma em que o jogo corre. Dito isto, tambem é verdade que, a haverem mais de futuro, provavelmente serão tambem de jogos prá 360 (embora eu tenha mais consolas)....pelo menos não contem com criticas a jogos de consolas Sony. Bem, talvez da PSP, mas duvido...





FORZA MOTOSPORT 2



Antes de mais nada, convém esclarecer algo em relação a Forza 2 (Fz2): este, tal como o Forza original da Xbox já o era, é o melhor e mais realista simulador automovél pra consolas disponivel actualmente no mercado. E se incluirmos o PC, so mesmo o GTR é mais simulador que Forza. No entanto nao se pense que nao há mais nada a saber do jogo....não.

Bem primeiro que tudo, pra todos aqueles que estejam familiarizados com o primeiro Forza, começar a jogar esta sequela é o mesmo que um peixe dourado saltar pra um aquário, ou seja, vão-se se sentir em casa. Desde a jogabilidade, passando pelos menus, efeitos sonoros dentro de pista, paint shop (acho que nao se chama assim, mas azar), até ao grafismo, tudo é muito parecido. Ora bem, e aqui posso já começar a falar dos aspectos negativos do jogo, que são mesmo as semelhanças em demasia com o primeiro Forza e os gráficos, que puro e simplesmente não são dignos do motor da consola.
Começando pelos gráficos, estes, a meu ver (e pelos vistos grande parte dos jornalistas do meio nao concordam, ou pelo menos não dão tanto enfase) sao maus! Epá maus mesmo! Basicamente foi pegar no motor de Forza da Xbox, deixar as pistas e cenarios basicamente na mesma e acrescentar mais detalhe aos carros. Apesar deste acrescento de detalhe, os carros nao impressionam nada, é jaggies por todo o lado e os reflexos excessivos dao um ar irrealisticamente polido aos carros (está na hora dos produtores perceberem que um carro, quando inicia uma corrida, não é suposto ter o aspecto de ter acabado de sair do stand!). Basicamente, Forza 2, a nivel de gráficos, é Forza (1) com um pouco mais de detalhe, sem no entanto chegar sequer aos calcanhares de PGR3(Project Gotham Racing 3, tb pra 360). Basta, por exemplo, comparar o cenário de Nova Iorque que ambos os jogos partilham, pra imediatamente perceber o que é realmente o aspecto next gen (PGR3) e o que não é (Fz2).

Mas como todos os jogadores sabem, isto dos gráficos não dita a qualidade de um jogo, e no caso particular de simuladores desportivos muito menos. De facto o que interessa, acima de tudo, é a jogabilida. E aqui, basicamente e a bem dizer, não há falhas a apontar. Mais uma vez é bastante semelhante ao primeiro Forza, no entanto, e para os jogadores mais atentos e dedicados, as melhorias a nivel de física sao bastantes e fazem-se sentir durante as corridas, providenciando assim uma esperiencia ainda mais realista e imersiva para o jogador. Para além de todas as melhorias subtis a nível da fisica, nota-se tambem, e de forma mais imediata, o desenvolvimento desenvolvido (eu nao resisto, sorry) no sistema de danos que está ainda mais realista, tanto a nivel estético como mecánico. O mais provavel é que qualquer jogador casual (ou alguem que considere os GT como o pináculo da simulaçao automovel) que pegue em Forza 2 pela primeira vez veja o seu carro irremediavelmente destruido e imobilizado logo na primeira curva.

Ainda dentro da jogabilidade, nota-se a falta da visão interior de cockpit integrado, tal como se viu em PGR3. É realmente estranho pra quem, como eu, se habitou tanto á visao interior de PGR3 agora ter de voltar a jogar na tipica camara interior "invisivel" (pra se jogar um jogo de corridas como deve ser, seja arcade ou simulador, tem de ser na vista interior!). Mas pronto, não é por aí que a experiencia fica manchada.

Claro que a contribuir prá imersão geral do jogo está o som, em particular os efeitos sonoros em pista (em relação á banda sonora, falarei mais á frente). Aqui, mais uma vez, é um misto de pontos negativos e positivos. De negativo temos uma sonorização quase que muda (muda tipo sem som, nao de mudança) das pistas e cenários em geral. Não fossem os um pouco menos silenciosos espectadores (que mesmo assim nao mostram grande entusiasmo) e as pistas/cenários mais que pareceriam estar em modo "mute".
De positivo, temos o barulho e sons expelidos pelos bolides. É verdade que muito raramente o som de um motor chega realmente a fazer vibrar as colunas como deve ser, mas é com agrado que se notam, claramente, as diferentes sonoridades motoras entre as várias marcas e modelos apresentados (sao os do costume btw...). Não só isto, mas quando se fazem modificações ao motor o som emitido pelo carro irá ser diferente em pista.

E já que se fala em modificações/upgrades, este é precisamente outro dos pontos fortes de Fz2. De facto é possivel fazer todo o tipo de melhoramentos da praxe, desde o típico aumentar de potência, até diminuir o peso do carro, etc. Até aqui tudo normal, mas Forza 2 dá ainda a possibilidade, aos mais fanáticos por estas andanças, de configurar, regular e afinar imensos aspectos do carro - voces sabem, aquelas cenas cheias de graficos, numeros e telemetria que quase ninguem percebe e/ou utiliza. Seja como for, é um bom e bem vindo complemente que acrescenta ainda mais profundidade ao caracter simulador do jogo.

Ainda na personalização dos automoveis, temos as opções de tuning a nivel de carroceria (nao me matem se estiver a utilizar mal estes termos), que para além do impacto visual no carro, traz consequências directas na jogabilidade. Não esperem no entanto nada ao nivel de um NFS ou Juiced neste aspecto, pois as opções são, na maioria dos casos (depende de carro pra carro), extremamente limitadas, limitando-se aos aos 2 ou 3 ailerons, uns spoilersitos laterais e mais umas poucas opções para o pára-choques e prá traseira do carro (além das jantes, que essas sim são em grande numero e há muito por onde escolher).

No entanto, ainda há a paint shop (péssima utilização de "no entanto" lol), o grande tesouro de Forza e a Sétima Maravilha dos videojogos. Não é á toa que este jogo é reconhecido pela personalização dos automoveis, e nesse aspecto a tal paint shop é a principal razão (btw nao tenho a certeza se aquilo se chama mesmo paint shop ou tem outro nome, mas agora agora tou a 5 metros da caixa do jogo e nao me apetece ir verificar).
Muito resumidamente e sem complicações, as opções deste modo são, literalmente, infinitas! É possivel desenhar, escrever e pintar nos nossos carros tudo o que bem nos apetecer e der na gana. O unico senão: se querem obter resultados minimamente bons, vão ter de ter muita paciencia e jeito, mas principalmente paciencia. Ah, e se querem ir pró Live, não se ponham a fazer carros com simbolos nazis e cenas do género como alguns têm feito...

Enfim, mas a paint shop é realmente um dos principais atractivos do jogo e irão, provavelmente, passar quase tanto tempo nela a personalizar as vossas máquinas, como a conduzilas em pista, tamanho é o vicio que se apodera de nós mal começamos a ver a nossa veia artistica a dar resultados.
Apesar de se passar tanto tempo na paint shop, esses momentos (quase) nunca se tornam aborrecidos, isto porque o jogo vem acompanhado de uma excelentissíma banda sonora que põe as nossas mentes em constante estado de festa enquanto navegamos pelos menus de jogo e pela tal paint shop.
Pessoalmente, dou especial importancia ás bandas sonoras presentes em jogos do género (corridas automoveis), e embora, para mim, a referência máxima no género continue a ser a banda sonora do saudoso Metropolis Street Racer prá Dreamcast, devo dizer que a presente em Fz2 me impressionou e muito! Há de tudo e pra todos os gostos (ou quase), desde rock, pop-rock, techno, dance, trip-hop, noise, etc (a inclusão de duas músicas da banda brasileira CSS, da qual eu sou fã, surpreendeu-me muito pela positiva).
Fica o aviso, no entanto, que as músicas apenas podem ser apreciadas enquanto se navega pelos varios menus de jogo, sendo que nas corridas não se pode ouvir musica (isto não é Gran Turismo).

E já que tenho referido tanto os menus e tal, aproveito, quase que em modo de conclusão (aproximação da conclusão pelo menos), para comentar o modo carreira do jogo. Pessoalmente nao gosto, tal como nao gostava no primeiro Forza. Passo a exlicar: o modo carreira está dividido por varios "agrupamentos" de corridas, onde, obviamente, a dificuldade vai aumentando em direcçao aos ultimos grupos. O problema, a meu ver, é que o modo carreira dá demasiada liberdade de escolha ao jogador. Isto porque logo após completarmos as primeiras corridas com sucesso, imediatamente começam-se a desbloquear novos grupos de corridas (desculpem tar a chamar de "grupos", mas está-me a falhar o termo mais apropriado) onde poderemos logo ir competir. Ora so que para poder competir nas mais variadas corridas, é necessário ter uma garagem á altura, e nao so isso, como melhorar determinados carros para assim serem mais competitivos na sua classe.
O que acontece na prática, é chegarmos a um ponto em que temos quase todos os "grupos" desbloqueados e quase todos ainda por acabar (e mesmo muitos por sequer começar). Quanto a mim, isto instala no jogador um certo sentimento de perda de direcçao, de confusão mesmo, pois torna-se um pouco "dificil" decidir o que faremos a seguir: se comprar determinado carro para poder ir correr nos "grupos" mais avançados, se melhorar alguns dos nossos carros mais utilizados pra terminar os grupos que já começamos, etc. Tudo isto teria uma soluçao muito simples, e que é a mais lógica, que seria puro e simplesmente completar cada grupo seguidamente e de forma linear pra so depois passar ao próximo. Mas o problema é que por vezes, dentro do mesmo grupo (de corridas, lol isto tá a ficar confuso) as pistas repentem-se em demasia e/ou sao demasiado aborrecidas o que leva o jogador (a mim pelo menos) a querer explorar novos grupos para assim encontrar pistas novas e frescas.
Consequencia disto tudo: ficamos com um modo carreira transformado num puzzle, em que temos umas corridas feitas ali, outras acolá, mas não existe realmente um fio condutor que dê lógica á nossa evolução como piloto, o que resulta numa gradual desmotivação do jogador pra terminar todo o modo carreira (aliás, eu próprio não terminei o primeiro Forza por este mesmo motivo).
Quanto a mim o modo carreira teria muito a ganhar se fosse mais linear e "centralizado", talvez numa onda de GT, TOCA ou mesmo PGR. Mas pronto, esta é so a minha opinião, e tenho a certeza que muitos jogadores apreciarão a liberdade dada por Forza neste aspecto.

E agora assim, passo aos comentários finais...

Tal como comecei esta critica, repito agora de novo, este é o melhor e mais satisfatorio simulador automovel pra consolas. Isto é indiscutivel. Agora a questao é: será este o melhor jogo jogo de corridas automoveis pra consolas? (repare-se que tento, propositadamente, distanciar-me do mundo PC). Sinceramente, e pessoalmente claro, penso que não. Partindo do principio que um jogo se quer divertido, acho este Forza 2 bastante afastado dessa filosofia. De facto, os problemas na estruturação do modo carreira, assim como o aspecto visual aquém do esperado, dão ao jogo um sentimento/"mood" de marasmo, ver mesmo, de aborrecimento.
No entanto, e isto poderá parecer paradoxal, o jogo consegue ser extremamente apelativo, muito viciante e bastante imersivo, levando a que qualquer apreciador do género caia nos seus encantos (jogabilidade sobretudo). Ainda assim, e acho que muito gente concordará comigo, Forza 2 nunca consegue dar o mesmo gozo e nivel de satisfação que dá o seu "vizinho" PGR3. Bem sei que sao dois jogos com filosofias diferentes, mas ainda assim, e apesar de tudo, sao dois titulos concorrentes um ao outro e que partilham muitas semelhanças, e por isso acho que se justifica a comparaçao (principalmente falando no particular caso da 360, e tendo em conta que a PS3 ainda nao têm nenhum titulo correspondente para fazer frente. Isto mantendo o caso restringido ás consolas "next/new-gen").

Conclusão: se são fãs de corridas automoveis e de simuladores em particular, então Forza 2 é, sem qualquer tipo de ezitação (mal escrito?), um titulo obrigatório e e fortemente aconselhável. Por outro lado, se gostam do género, mas procuram uma experiencia mais emocionante e divertida mas ainda assim profunda, entao nada melhor que PGR3. Mas claro que o melhor será mesmo ter os dois titulos em questao (like me)....e já agora convém nao esquecer que PGR4 tá quase aí a chegar.

E não, não vou dar qualquer tipo de pontuação numérica avaliativa ao jogo. Mas fiquem sabendo, que caso desse, seria altinha....


PS: Nao falei do modo online nem nada relacionado com o Live. Isto porque eu, basicamente, nunca jogo online (nao que nao possa....digamos apenas que ja tive o meu tempo lol), logo nao poderia tar a falar do desconhecido (tipo). Ainda assim, fica o registo que as corridas no Live sao dos pontos mais altos de Fz2, segundo li em várias criticas de sites conceituados.

PS2: Caso estejam a pensar em comprar o jogo, aconselho fortemente a Ediçao de Coleccionador, que custa sensivelmente mais 10 euros (penso que nem chega a tanto), que além de vir embutida numa caixa bem porreira e com bom aspecto, ainda traz um livro relativamente grosso que inclui, entre outras coisas, entrevistas ao pessoal que fez o jogo e mini enciclopedias sobre as marcas e modelos automoveis presentes no jogo. A imagem da capa é fraca e alemã ou algo do género...sorry nao consegui encontrar a inglesa.


IMAGENS DO JOGO

1 comentário:

Jehzzebell disse...

Copiando as tuas palavras "A net é fantástica. Permite-nos, de um momento para o outro, e sem querer, encontrar algo de novo que gostamos."
Apesar de n ser grande apreciadora de videojogos decidi ler aqui este texto sobre o Forza Motorsport 2... Parabéns pelo conteúdo (mesmo continuando a n gostar de videojogos...) de qualquer maneira aqui fica um conselho para que, no futuro, o conteúdo seja tão bom como a escrita em si: http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx
Ass. a Mais recente leitora assídua do teu blog